noticias Seja bem vindo ao nosso site O Santarritense Digital!

Política

Câmara Municipal de Pirassununga rejeitou a cassação do prefeito afastado, Dr. José Carlos Mantovani (PP)

Publicada em 07/03/24 às 11:51h - 59 visualizações

Jornalista Toni Oliveira - jornal O Movimento


Compartilhe
Compartilhar a noticia Câmara Municipal de  Pirassununga rejeitou a  cassação do prefeito afastado, Dr. José Carlos Mantovani (PP)  Compartilhar a noticia Câmara Municipal de  Pirassununga rejeitou a  cassação do prefeito afastado, Dr. José Carlos Mantovani (PP)  Compartilhar a noticia Câmara Municipal de  Pirassununga rejeitou a  cassação do prefeito afastado, Dr. José Carlos Mantovani (PP)

Link da Notícia:

Câmara Municipal de  Pirassununga rejeitou a  cassação do prefeito afastado, Dr. José Carlos Mantovani (PP)
 (Foto: Jornalista Toni Oliveira - jornal O Movimento)
Com o plenário lotado e sob esquema de segurança montado pela Guarda Civil Municipal, a sessão foi instalada às 10 horas e só terminou por volta das 16 horas, após a votação dos vereadores.
Segundo a Câmara Municipal, o  pedido de impeachment foi protocolado pelo cidadão, Odirley Montesino. Veja como votou cada vereador:
A favor da cassação: Carlos Luiz de Deus (PP), o Carlinhos, Wellington Cintra (Republicanos), Sandra Vadalá (Pode), Mirelle Bueno (PDT), Vitor Naressi (União Brasil) e Luciana Batista (Republicanos), a Luciana do Léssio.
Contra a cassação: César Ramos da Costa (PSD), o Cesinha, João Henrique Trevillato Sundfeld (PSD), o João do Sal Filho, Natal Furlan (PSD) e Paulo Sérgio Soares da Silva (DEM), o Paulinho do Mercado.
Seriam necessários sete dos 10 votos para cassar o mandato do prefeito.  Com isso o prefeito afastado se livra da cassação e a denúncia é arquivada na Câmara.
Em 4 de dezembro de 2023 a Câmara Municipal  aprovou um pedido de impeachment do prefeito afastado. Na ocasião a Comissão Processante recebeu a totalidade dos votos dos vereadores.

Operação Calliphora
Mantovani  também é alvo de investigações pelo Gaeco do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP). Ele, e dois secretários municipais, Luiz Carlos Montagnero Filho (Governo) e Marcos Alecsandro de Oliveira Moraes (Agricultura), foram afastados de seus cargos, por ordem do Tribunal de Justiça, por suspeitas de fraudes em licitações em contratos de serviços de limpeza urbana e corrupção passiva.
Além do prefeito e dos secretários, também foram afastados de seus respectivos cargos o superintendente do Departamento de Águas e Esgoto de Pirassununga (Saerp), Jeferson Ricardo do Couto, e a pregoeira do setor de licitações Dercilene dos Santos Magalhães.
Além do prefeito e dos secretários, também foram afastados de seus respectivos cargos o superintendente do Departamento de Águas e Esgoto de Pirassununga (Saerp), Jeferson Ricardo do Couto, e a pregoeira do setor de licitações Dercilene dos Santos Magalhães.
O que investiga a operação?
De acordo com as investigações, a empresa privada de limpeza pública THV teria subornado a prefeitura para ser favorecida em contratos que chegam a R$ 30 milhões.
A promotoria apurou que parte do repasse teria acontecido com a participação de terceirizados da empresa e contas bancárias de parentes ou pessoas indicadas pelos agentes públicos.
Os recursos, segundo os investigadores, seriam repassados por meio de contas em nome de terceiros indicados pelos agentes públicos, entre eles familiares dos investigados.

( Créditos: jornalista Toni Oliveira / jornal O Movimento)
Jornalista Toni Oliveira - jornal O Movimento
Jornalista Toni Oliveira MTB/SP 59.246/SP  Fenai 2823-J
#facebook.com/jornalistatonioliveiraz



ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (19) 3582-6363

Visitas: 401398
Usuários Online: 10
Copyright (c) 2024 - O Santarritense Digital
Converse conosco pelo Whatsapp!