noticias Seja bem vindo ao nosso site O Santarritense Digital!

Brasil

Pesquisa revela acúmulo de lixo em águas profundas do Brasil

Publicada em 25/03/24 às 10:49h - 38 visualizações

O Santarritense Digital


Compartilhe
Compartilhar a noticia Pesquisa revela acúmulo de lixo em águas profundas do Brasil  Compartilhar a noticia Pesquisa revela acúmulo de lixo em águas profundas do Brasil  Compartilhar a noticia Pesquisa revela acúmulo de lixo em águas profundas do Brasil

Link da Notícia:

Pesquisa revela acúmulo de lixo em águas profundas do Brasil
 (Foto: O Santarritense Digital)
Pesquisadores do Instituto Oceanográfico da USP identificaram pela primeira vez uma significativa presença de lixo em águas profundas ao longo da costa dos Estados de São Paulo e Santa Catarina.
O estudo, publicado no Marine Pollution Bulletin, revelou que a poluição se estende de 200 a 1.500 metros de profundidade, a aproximadamente 200 km da costa, conforme observações realizadas durante as expedições do projeto Deep-Ocean, financiado pela Fapesp.
O objetivo inicial do projeto era estudar a diversidade de peixes que ocorrem no mar profundo brasileiro. No entanto, os pesquisadores foram surpreendidos pela enorme quantidade de lixo coletado junto com os animais.
“Nas expedições, o foco eram os peixes de mar profundo, porém começou a vir muito lixo junto. Para mim, que estava na graduação, foi bem chocante. Então, nós decidimos triar o lixo que vinha junto ao invés de descartá-lo, separando por pontos de coleta”, conta a oceanógrafa Flávia Tiemi Masumoto, líder do projeto.
Dos 31 locais selecionados para a coleta nas regiões de Ilhabela e Florianópolis, em apenas três os peixes não vieram acompanhados de resíduos. Vale destacar que o lixo marinho encontrado no litoral paulista foi mais abundante do que em Santa Catarina.
“A rede trazia frequentemente embalagens de alimentos, sacolas plásticas, garrafas, latas e utensílios de pesca. Alguns desses resíduos eram materiais altamente tóxicos e prejudiciais ao meio ambiente, como tintas para embarcações e latas de óleo para motor”, conta o repórter Ivan Conterno em reportagem publicada no Jornal da USP.
Separados pela composição, o plástico representou mais da metade da quantidade do que foi coletado e esteve presente em todos os locais pesquisados. Em seguida vieram os metais (14%), os têxteis (11%), o vidro (7%) e as tintas de embarcações (6%). Outros tipos de itens somaram 17%.
Supervisor do estudo, o professor Marcelo Roberto Souto explica que a origem do lixo pode ser tanto o descarte no continente quanto diretamente no local.
“Como alguns compostos mais densos afundam rapidamente, é provável que tenham sido descartados pela tripulação de embarcações ou de plataformas, mas existe também a possibilidade de que as correntes marinhas transportem objetos com menor densidade, como as sacolas e embalagens plásticas” opina Marcelo.

Fonte: www.reciclasampa.com.br




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (19) 3582-6363

Visitas: 401428
Usuários Online: 26
Copyright (c) 2024 - O Santarritense Digital
Converse conosco pelo Whatsapp!